quarta-feira, 2 de março de 2011

Um Olhar sobre a Greve dos Professores do Maranhão


O movimento grevista deflagrado pelo sindicato dos professores da rede estadual de ensino, no primeiro dia do mês vigente, não pôde ter escolhido melhor data.

Uma semana após o início das aulas do ano letivo de 2011 e uma antes do carnaval, a greve dos professores vem tentar sanar um grave problema que não foi resolvido no fim do ano passado: a aprovação e aplicação do Estatuto do Educador.

Dentre as reivindicações do Estatuto, está o estabelecimento imediato de um piso salarial de aproximadamente R$ 1.040,00, valor este que, longe de ser o ideal, é superior aos atuais R$ 800,00 (resultante do somatório de todos os "benefícios" que os professores possuem).

A greve dos professores por tempo indeterminado se justifica prontamente pelo não cumprimento dos acordos feitos em 2010 com o Governo do Estado, mediante a negação por parte deste do reajuste de 12% pleiteado pela categoria, sob a alegação de falta de recursos.

Paralelamente a essa negativa, ainda no ano passado, todos os parlamentares maranhenses tiveram aumento - acompanhando o efeito cascata propagado pelo legislativo federal que concedeu aumento aos parlamentares de todo o país -, fazendo com que seus rendimentos passassem a girar na órbita de 15 a 20 mil reais.

Além disso, o governo do Maranhão realizou um concurso no ano de 2009 ofertando 5.320 vagas imediatas para toda a rede estadual de ensino. Mas até agora, segundo dados do próprio governo, a Secretaria Estadual de Educação nomeou apenas 3.346, deixando ociosas 1.974 vagas, o que gera um grave déficit de professores no Estado.

Segundo o sindicato da categoria, o Sinproesemma, a defasagem de profissionais no Maranhão é de aproximadamente 14 mil professores, o que exigiria que todos os excedentes do último concurso fossem convocados e se abrisse novo edital para realização de um concurso ainda mais amplo.

O mais estranho ainda é que praticamente um mês depois do concurso realizado em 2009, a Secretaria Estadual de Educação promoveu um seletivo para professores em todo o Maranhão, oferecendo mais de três mil vagas, com uma carga horária de trabalho maior (40h semanais) que a dos concursados (20h semanais), porém com salários em torno de R$ 650,00.

Nunca é demais rememorarmos que o Maranhão tem a segunda pior educação do país, ficando atrás apenas de Alagoas, segundo o Plano Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) realizado no final de 2009. E que o escândalo de concessão de bolsas de pesquisa para apadrinhados políticos do atual governo através da Fapema ainda está sendo investigado pelo Ministério Público Estadual.

Enfim, virtuosos leitores, estes são apenas alguns dos inúmeros "indícios" de que a educação no Maranhão não é levada a sério e nem de longe é encarada como prioridade de um governo que prometeu em campanha promover uma "revolução" nessa área e realizar "o melhor governo" que já se viu por estas bandas do Brasil.

Hugo Freitas


Eis os 22 ítens da pauta de reivindicações do Sinproesemma:

1- Aplicação imediata de Tabela Salarial com base na Lei do Piso;
2- Aprovação imediata do Estatuto do Educador acordado com o governo em 2010;
3- Criação de um Plano Estadual com a participação democrática dos educadores do Maranhão;
4- Concurso público imediato para funcionários de escola;
5- Prorrogação da validade do concurso 2009;
6- Nomeação dos excedentes do último concurso público;
7- Concessão imediata das Promoções, Progressões e Titulações;
8- Regularização de concessão das licenças prêmios;
9- Cumprimento da decisão judicial, quanto ao pagamento do acordo revogado pela Lei 7.885/2003;
10- Garantia de horas extras para os educadores que ultrapassarem a jornada de trabalho semanal na unidade de ensino;
11- Celeridade no processo de aposentadoria;
12- Formação inicial e continuada aos educadores;
13- Ampliação do Programa Pró-Funcionário;
14- Criação da gratificação de estímulo profissional para funcionário de escola;
15- Cumprimento da legislação (CEE/MA)vigente quanto ao limite de alunos e sala de aula;
16- Isonomia salarial entre os professores contratados e efetivos;
17- Reajuste imediato do vale transporte;
18- Fim da terceirização nas escolas;
19- Melhoria das condições de trabalho;
20- Promoção da melhoria das condições de saude e segurança no trabalho em todos os espaços das escolas públicas estaduais;
21- Regionalização da assistência à saúde;
22- Criação de um plano estratégico de recuperação e ampliação das estruturas físicas do sistema educacional.

41 comentários:

  1. Não há o menor interrese da governadora em melhorar o índice de nossa educação, haja visto que ela entende que educação se limita a carteiras novas e pinturas em paredes, além é claro de estampar a sua logomarca nas paredes da escola, isso é imprescindível e não falta dinheiro.

    Parabéns pelo texto, ótimo.

    @sostenessalgado

    ResponderExcluir
  2. Companheiro Sóstenes, saudações.

    É isso mesmo. A educação compreendida pelo governo vigente se resume a recuperação de carteiras e pintura de muros de escolas. Bem típico daqueles que utilizam a propaganda como arma principal do negócio lucrativo de camuflagem da realidade.

    Afinal, quantos são os cidadãos que entram nas escolas estaduais para observar o verdadeiro estado em que se encontram?

    A grande maioria dos maranhenses que ainda se deixa ludibriar por falsas promessas e propaganda enganosa só enxerga por fora, das ruas e avenidas por onde passam, a tinta que recobre a fachada das escolas, como se educação se resumisse unicamente a tijolos pintados.

    Grato pela valiosa participação, companheiro.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  3. As verdades sobre a Educação que você escreveu, servem para informar corretamente a sociedade maranhense de forma ela é tratada!(a sociedade e a educação)...Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Sabe o que acho da greve? Bom, se a greve for para ter as reivindicações atendidas, ela vai demorar uns dois anos ou mais! Aqui no Maranhão se tem os índices educacionais iguais a de muitos paises africanos, cujo índice de avanço tecnológico nem se comprara a esses locais. O Maranhão que tem a Vale, a Alcoa, Eletronorte, e centenas de empreiteiras da construção civil e de logistica, não pode ter esse tipo de comportamento com a educação. Pelas minhas contas, em 3 governos, passaram pela cadeira da educação nada mais nada menos que seis secretários estaduais de educação em uma prova cabal que a educação se não for eleitoreira,, é de fachada.

    então, que venha a greve por uma educação que se não for a esperada de qualidade, mas que seja considerável como competitiva para o mercado maranhense.

    ResponderExcluir
  5. Companheiros "Anônimos", irei referir-me a vocês de acordo com a ordem cronológica dos comentários.

    1º Anônimo: Obrigado pelo elogio, companheiro. Nosso propósito é justamente esse: levar um olhar diferente sobre o que acontece no nosso desvalido Estado para todos os cantos do país, como alternativa aos veículos midiáticos que vendem seu silêncio e sua indiferença aos "donatários" do Maranhão, sem se importar com o infortúnio dos milhares de alunos e professores que são prejudicados por este descaso com a Educação.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  6. 2º Anônimo: Sua análise é bastante pertinente, haja visto que cargos como a chefia da Secretaria Estadual de Educação são bastante visados menos por interesses sociais do que por questões eleitoreiras, justamente pela grande penetração que possuem junto aos jovens e, por conseguinte, aos seus familiares, bem como pela exposição midiática que lhes são conferidos, como propagandeamento de "reformas" que não passam de pinturas nos muros das escolas.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  7. Hugo, a situação dos professores nos remete a uma reflexão sobre a classe política maranhense: Quem é bom mesmo? Acho que estamos no mato sem cachorro, pois o Jackson foi uma droga como governador, maltratou o funcionalismo e se não particou mas fechou os olhos para a corrupção dentro do governo. Me dá nojo vê esse pessoal deles se solidarizando ai com os professores, como se eles tivessem sido diferentes quando tiveram o poder na mão. Tenho nojo de todos, pois pra mim são bons até não estarem no poder, depois mudam, esquecem de tudo que prometeram, condenaram nos seus adversários e passam a fazer do mesmo jeito ou pior. Não me aponte o Flávio como grande alternativa, esse também está acompanhado de gente que não presta, como Zé Reinaldo e o prefeito de Caxias. Esses malucos do PSOL, PSTU, não conseguirão na atual conjuntura mundial conquistar jamais o poder, a linguagem deles não é compreensível ao povão e o excesso de radicalismo assusta os mais humildes. Então é isso, não acredito em mais nada no Maranhão.Quanto aos professores, a maioria merece passar por isso, pois votaram em peso na dona Roseana. (Luiz Pereira Torres Bringel)

    ResponderExcluir
  8. Companheiro Luiz Pereira, saudações.

    Infelizmente, tenho que concordar com você quanto à questão do governo Jackson, o qual também cheguei a acreditar que seria o marco histórico da guinada sociopolítica do Maranhão, principalmente em relação à pasta Educação.

    Porém, a frustração de todos foi do tamanho da expectativa que alimentávamos. Assim que começou, o governo Jackson tratou logo de tentar modificar a forma de pagamento dos professores, que passariam a receber através de subsídios um valor único mensal compreendendo "todos" os benefícios remuneratórios a que os mestres teriam direito, mas que suprimiria direitos trabalhistas historicamente garantidos com muita luta, suor e sangue, como fim das horas-extras, 13º salário, gratificação por qualificação, dentre outros, através da famosa "Lei do Cão", que atingiria não só os professores como também todos os funcionários estaduais.

    Na verdade, o governo Jackson (2007-2009) representou apenas um interstício nesse período de quatro mandatos da atual gestão estadual, haja visto que a mesma já esteve no comando da máquina administrativa de 1994-1998, 1999-2002, 2009-2010, e agora 2011-2014.

    Nesse interstício, tivemos o "estranho" governo Zé Reinaldo (2003-2006), eleito no seio do coronelismo reinante e, posteriormente, desafeto extremo do mesmo ao anunciar sua ruptura com a família Sarney.

    Mas, ainda assim, com todos esses descaminhos que atravessamos, não podemos perder a esperança de vermos este Estado trilhando um caminho menos espinhoso ou, minimamente, com um horizonte mais promissor.

    Porém, para que isso aconteça, devemos unir forças e sabedoria para combatermos "o bom combate", denunciando as mazelas sociais que assolam a população e apresentando propostas viáveis de solução dos constantes, reincidentes e infindáveis problemas que o Maranhão possui.

    Não sei se A ou B representam os ventos da mudança. O que sei é que devemos construir uma via alternativa, com novos nomes, sem vínculos oligárquicos, sem esquemas de desvios de verbas públicas, sem as chagas da corrupção.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  9. Meu amigo Hugo, este governo tenta de todos os modos terminar de acabar com o Maranhão.
    Não se satisfazendo em nos humilhar todos os dias com escândalos vergonhosos a nível nacional ainda temos que ouvir este desgoverno dizer que falta recursos para educação e que portanto não pode atender aos pleitos justos dos servidores da educação. Mas o próprio governo tem rios de dinheiro para gastar em propaganda por exemplo, tem dinheiro de sobra para comprar um helicóptero caríssimo que nem países ricos possuem, tem milhões para dar a empreiteiras para fazer estradas ridículas...Só não dinheiro mesmo para educação, haja vista que com esta ultima fortalecida seu governo baseado na mentira prosperaria.

    Todos sabemos que este governo busca apenas manter o status quo, mas iremos desmacarar-lo a cada dia.
    Um abraço meu amigo.

    ResponderExcluir
  10. Companheiro GD News, saudações.

    Infelizmente, essa é a tragicomédia a que estamos submetidos. Enquanto se gasta "zilhões" com propaganda e com o aumento dos deputados para garantir apoio de projetos de lei e destinação de recursos favoráveis a si próprio, o governo age como se estivesse lidando com tolos ignorantes.

    Mais do que nunca, o movimento grevista deve se manter firme e forte na luta por um salário digno e por melhores condições de trabalho para os professores e bem-estar educacional dos alunos.

    Grato pela valorosa contribuição, meu amigo.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  11. caro amigo essa greve vai demora muito ou vai acabar logo?

    ResponderExcluir
  12. Caro "Anônimo", não há uma perspectiva num horizonte próximo de que a greve se encerre, haja visto que o governo se mantém em posição irredutível de bancar o reajuste de 10% ao qual os professores tem direito, previsto em 2010 para ser repassado agora em março.

    O argumento do governo é falta de verbas, propondo-se o reajuste apenas para outubro, sem nem discutir o aumento nos vencimentos dos professores, de acordo como rege o Estatuto do Educador, que sequer foi aprovado.

    Em outras palavras, o governo se recusa a pagar além do aumento de salário, reivindicação legítima dos professores, um reajuste previsto em 2010.

    Enquanto o governo se mantiver irredutível, a greve continua.

    Mas não se deixe enganar: a luta dos professores é justa e legítima. Além de melhores salários, os professores reivindicam a aprovação e aplicação imediata do Estatuto do Educador, bem como melhores condições de trabalho, como aparelhamento e reestruturação física das escolas.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  13. Todos tem seu direito de reivindicações, mais o professores tbm tem que pensar nos alunos que precisam desse ensino e se estão em escolas do estado é por não ter condições de está em uma rede particular. Tem aluno precisando de professor em sala de aula pra tentar ter pelo menos uma noção pra conseguir fazer o ENEM esse ano.
    Precisamos que os professores tomem consciência, por que estão correndo atrás dos seus direito mais que por outro lado estão prejudicando os alunos que estão ali pra aprender e sem professor não há nada que aprender e por não ter o que aprender acabam sem ter um futuro certo.
    Tirando as Escolas que tem como alunos os Deficientes, eles são como qualquer outro aluno e precisa de educação pra ser um bom profissional do futuro.
    Se vocês professores são formadores de grandes profissionais devem saber a falta que estão fazendo pros alunos que realmente querem estudar e a raiva que eles estão por não ter aula.

    Beijos
    :*

    ResponderExcluir
  14. Companheira, "Anônima" (deduzo o gênero por conta dos "beijos" no final...).

    Infelizmente, todo movimento grevista é tido como prejudicial à sociedade, pois sempre é a população a principal afetada.

    Mas não culpe os professores, nem os responsabilize por esta greve. O principal responsável é o Governo do Estado, que não cumpriu o acordo feito ano passado sobre o reajuste nos vencimentos previsto para o início deste ano.

    Ainda é o Governo do Estado quem não aprovou o Estatuto do Educador por alegar falta de recursos financeiros, mas que, no entanto, concedeu aumento de mais de 60% aos deputados maranhenses só para garantir a aprovação de seus projetos mesquinhos e voltados exclusivamente aos poderosos "dono(s) do mar"aranhão.

    E, por fim, é o próprio "governo" do Estado quem não sinaliza para um diálogo e um acordo definitivo sobre as reivindicações da categoria, privando milhares de alunos em todo o Estado das salas de aula e do necessário conhecimento para o enfrentamento da vida adulta e dos inúmeros seletivos que ainda virão.

    Entenda, companheira, faz parte do projeto dos gestores em educação não negociarem com a categoria, justamente para que o tempo passe, os alunos permaneçam sem aulas e a população se volte contra os professores e a greve, pintando-a de ilegítima e irresponsável.

    Os professores reivindicam questões que até fogem de sua alçada, mas que compõem seu caráter de "lutadores" pela melhoria da qualidade da educação no Maranhão, como melhores estruturas físicas nas escolas, salas e carteiras adequadas, material escolar e didático de qualidade, livros atualizados em boas bibliotecas, enfim, uma série de elementos contemplados nas 22 reivindicações listadas no texto da matéria.

    No fim das contas, quem é que não está preocupado com a educação no Maranhão, afinal?

    Saiba que grandes conquistas só advêm de grandes sacrifícios.

    Por uma educação de qualidade, por melhores salários e por maiores condições de ensino é que a greve é justa e legítima.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  15. hogo vc sabe quais os valores para um professor no maranhõa tever ganhar atualmente (obrigado )

    ResponderExcluir
  16. Companheiro "Anônimo", saudações.

    Se entendi bem sua pergunta, um professor da rede estadual de ensino no Maranhão ganha em remuneração bruta R$ 880,94 por 20h semanais, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

    Mas segundo informações dos próprios professores, este valor é de R$ 709,00 bruto.

    Ambos os valores, para quem tem nível superior (70% dos professores de todo o Estado) são acrescidos da Gratificação por Atividade de Magistério (GAM), o que dá um total de apenas R$ 1.631,69, segundo o Consed.

    Em cima da remuneração da base, o sindicato da categoria reivindica aumento de 10% correspondente a um acordo feito em 2010, que estava previsto para ser repassado agora em março, o que foi descumprido pelo governo do Estado.

    No final das contas, caso haja algum acordo favorável à categoria, a remuneração base dos professores deve girar em torno de vultosos R$ 969,03, baseado nos valores divulgados pelo Consed.

    No entanto, de acordo com o contra-cheque dos educadores, esse valor não deve passar de R$ 779,90.

    Espero que tenha respondido seu questionamento.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  17. Além de não cumprir com o acordo feito em 2010, o governos está divulgando em seu site notícias que confundem a opnião da população. O salário que eles dizem ser o melhor do brasil só alcansa tal margem devido a soma de gratificações. piso salarial corresponde ao vencimento básico, não vamos deixar que o governo jogue a população maranhense contra os professores...

    ResponderExcluir
  18. Companheiro "Anônimo", saudações.

    Essa é uma estratégia bastante auspiciosa utilizada pelo governo, que em vez de promover melhorias sociais sobrevive de propaganda como arma alucinógena da inteligência coletiva do povo.

    Afinal, povo mal informado e "deseducado" é povo sofrido e bestializado.

    Grato pela participação.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  19. Eu acho até bom o q a Roseana esta fazendo,q é pra esses eletoris q votaram nela relepra se no governo passado ela ñ fez pq nesse ela faría, isso é por pais de estudante ou ate os proprios estudante presta atenção e avaliar bastande em quem vai votar.Apoio sim os professores, pois é um direito delo, mas eles tem q ver nosso lado, o lado do estudade as vezes temos compromisso nas ferias q ã podemos adiar e ai como ficamos. E sem fala q quando vcs professores voltam, voltam com tudo empurano conteudo ne nós alunos, q pro ano letivo dermina ia ñ querem nem saber se o aluno apredeu ou ñ, iai quem se ferra é só o aluno.E outra professores convidam alunos pra participar, mas, partipar pra se nada q eles reveticam ñ tem a ver com problemas de escolas e se deles mesmo.Eu só sei de uma coisa q os prejudicados somos nós alunos da rede publica.Prfessores pesse bem qnd voltarem pra sala de aula!!!!!!! Beijos
    1 AlUNA do Bandeira Tribuzzi "CAIC"

    ResponderExcluir
  20. Olá, Fernanda.

    Seu comentário é uma das milhares de vozes dos estudantes maranhenses que clamam pelo fim imediato da greve dos professores.

    Infelizmente, em todo movimento de reivindicação por melhorias salariais e condições de trabalho sempre o principal prejudicado é o povo, neste caso, a classe estudantil.

    Sei que sua preocupação é legítima e verdadeira. Afinal, já estamos às portas do mês de abril, e nada da greve ter fim.

    Mas entenda que a greve é um direito constitucional, garantido pela Carta Magna que rege este país.

    No entanto, o Governo do Estado, em vez de procurar negociar as melhorias reivindicadas pelos professores, que inclui sim revitalização de escolas e material didático de qualidade, prefere se utilizar de todo arsenal midiático que lhe é favorável para denegrir o movimento grevista e acusar os professores de "irresponsáveis" pela falta de aulas.

    Todos os direitos e melhorias conquistadas historicamente neste país sempre foram através da reivindicação, da luta, dos gritos e protestos nas ruas, que no Estado Democrático de Direito se processa através da greve.

    É dever do Governo do Estado sentar com o sindicato da categoria e negociar uma solução viável para pôr fim a este impasse.

    Se a greve continua não é por causa dos professores, e sim, por conta do governo, que prefere atacar em vez de negociar, o que demonstra o quão preocupado é o Governo Roseana quando se trata de Educação no Maranhão.

    No fim, é verdade, quem perde sempre são os alunos. Mas, em se resolvendo a greve, com o retorno dos professores às salas de aulas, cabe a vocês, estudantes, exigirem que a carga horária seja cumprida e que os conteúdos sejam ministrados com qualidade e paciência.

    É só assim que se constrói uma sociedade verdadeiramente democrática: com a participação integral de todos.

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  21. falta de respeito com os estudantes do estado

    ResponderExcluir
  22. Companheiro "Anônimo", saudações.

    Entenda que quem não está disposto a negociar é o Governo do Estado e não os professores através do seu sindicato.

    Se o governo tivesse o "respeito" que você afirma faltar para com os "estudantes do Estado", a greve já teria sido solucionada há tempos. Aliás, nem teria começado, levando-se em consideração todos os fatos mencionados na matéria.

    Falta de respeito mesmo é o governo alegar não ter verbas para custear o aumento legítimo dos salários dos professores, mas tem para conceder aumentos exorbitantes de mais de 60% para todos os deputados e investir pesado em cara propaganda de desmerecimento da referida greve.

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  23. Sou aluno do CE Domingos Vieira Filho, e estou totalmente a favor dos nossos queridos professores. Eles é que sabem a verdadeira situação deles. Estão lutando por uma causa justa, disso eu tenho certeza. Nós alunos temos mais é que apoiar eles, pois assim poderemos ter um pouquinho de qualidade no ensino. Se o professor ganha mal, ele acaba desistindo de dar aula e quem fica são aqueles professores despreparados, que eu sei que tem bastante, infelizmente. E essa história de grêmios fazendo passeata pelo fim da greve é tudo mentira, pq a gente não tem dinheiro nem para compra caderno quanto mais para fazer faixa bonita e ainda mandar imprimir panfletos. Batalhar por uma festa de formatura ninguém faz.
    Sucesso professor. Tomara que essa greve termine logo, mas com ganho para os mestres e para nós. Porque nós também vamos ganhar com isso.

    ResponderExcluir
  24. Olá, Werbeth.

    É sempre bom termos comentários lúcidos e conscientes como o seu, ainda mais em se tratando de um representante da classe que é a mais prejudicada nesse momento: a dos alunos.

    Certamente, Werbeth, professor mal remunerado e trabalhando em péssimas condições é um fator a mais para ele pensar em "desistir de dar aula", como você afirmou muito bem.

    Quanto à questão de alunos estarem fazendo protestos contra a greve, mais uma vez você está coberto de razão. Temos informações que confirmam que tem gente poderosa custeando faixas e banners e pagando os estudantes para se manifestarem a favor do governo e contra a greve.

    Parabéns por sua lucidez. Excelente comentário!

    Tenha a certeza de que finda a greve, com resultado favorável para os professores, a qualidade do ensino deverá melhorar.

    Caso contrário, o Maranhão continuará amargando "A SEGUNDA PIOR EDUCAÇÃO DO BRASIL", quiçá, "A PIOR DO BRASIL".

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  25. É LAMENTÁVEL A ATITUDE DA GOVERNADORA COM A EDUCAÇÃO DO MARANHÃO.UMA DAS PIORES DO BRASIL. ELA PROMETEU FAZER UMA REVOLUÇÃO, E NA REALIDADE FEZ TUDO AO CONTRÁRIO.

    ResponderExcluir
  26. Companheiro "Anônimo", saudações.

    Lamentável mesmo! Enquanto o governo sentou de um lado com a categoria dos policiais civis para fechar um acordo pelo fim da greve, do outro decretou o corte no ponto dos professores grevistas.

    Esse é o governo da contradição! O Maranhão está na contramão de uma revolução!

    Grato por sua participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  27. Olá, fiquei verdadeiramente satisfeita em encontrar alguém que não esteja contra nosso movimento e peço, que se possível, você possa fazer um novo post avaliando os acontecimentos deste período em relação a greve. Quando se realiza uma busca por esse assunto, o que + se vê são coisas negativas e que desmoralizam os professores e seria muito bom que o povo vise algo diferente da campanha do governo, pois a favor da greve, quase na maioria, vê-se apenas sindicatos.
    Acredito que ao retornar, os professores deverão estabelecer prioridades a respeito dos conteúdos, pois se realmente levarmos todas as faltas prometidas, não é obrigatório repor a carga horária (assim ouvi falar). Enfim, será a vez de negociatmos com os alunos.

    ResponderExcluir
  28. Obrigado, Daniela. Fico feliz em saber que você gostou do que leu neste blog. Essa é a nossa proposta: levar informação de qualidade à população maranhense como alternativa aos veículos midiáticos "oficiais".

    Quanto à sua sugestão, já publiquei outras notícias sobre o andamento das negociações. A mais recente fala, inclusive, sobre a continuidade do movimento grevista em detrimento da falta de proposta concreta do governo. Dê uma olhada nos "Arquivos do blog", logo abaixo dos "seguidores, à sua direita.

    Extremamente grato por sua participação. Continue comentando, questionando, criticando, sempre que desejar. Este espaço é nosso. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  29. Gostei do texto sobre os 100 dias do governo de Roseana. De algo assim é q eu estava falando. Continuarei acompanhando seu blog!

    ResponderExcluir
  30. Muito obrigado, Daniela. Sua participação neste espaço será sempre bem-vinda.

    Aproveite e divulgue também para os seus demais colegas professores que eles possuem um espaço que olha para o movimento grevista como uma excelente oportunidade de retirarmos o Maranhão da incômoda situação de SEGUNDA PIOR EDUCAÇÃO DO PAÍS, começando pela valorização dos educadores com melhores remunerações.

    Este blog apóia a greve dos professores do Maranhão, por acreditar que sem lutar nunca haverá outra história para contar.

    Grato, mais uma vez, por sua participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  31. Como ja foi dito em comentário anterior, não há interesse algum de nossa governadora melhorar a educação do nosso estado.

    Boa educação gera pessoas críticas, o que resultaria em cidadãos bem instruídos e que consequentemente não elegeriam políticos como ela.

    O papel do professior é essencial para a formação de cidadãos críticos. Por isso eles deveriam receber o devido valor, sendo respeitados seus direitos.

    Fui aluno de escola estadual todo ensino fundamental e médio, sei muito bem como é a nossa realidade. Professores são desvalorizados, grande parte dos alunos desmotivados, enquanto apenas alguns conseguem se sobressair conseguindo pensar claramente e enxergar a realidade.

    Nosso povo está acostumado a receber "esmolas" do governo estadual, como contas de água e luz pagas. Em vez disso, deveríamos estar em pleno desenvolvimento, principalmente na área da educação, q é o q mudaria tudo isso!

    Muito bom o texto, Hugo! Parabéns.

    ResponderExcluir
  32. Obrigado, companheiro.

    Concordo com você em todos os aspectos, principalmente quando você diz que o "nosso povo está acostumado a receber 'esmolas' do governo estadual, como contas de água e luz pagas".

    Essa foi uma ótima observação, pois traz à luz da análise do problema em questão um aspecto até então esquecido pelo grande público: o de que a "esmola" através de assistencialismo barato é o instrumento reutilizado constantemente para garantir os arreios do voto popular.

    Se houvesse realmente uma preocupação com a Educação por parte do governo, acredito também que seria muito difícil a população eleger políticos como a governadora Roseana Sarney.

    Parabéns a você, companheiro, pela sobriedade e lucidez com que emitiu seu feliz e oportuno comentário. Fique à vontade para participar sempre que desejar. Este espaço é nosso.

    Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  33. Rosiane - O Maranhão pede socorro!!!!16 de abril de 2011 18:49

    Parei aqui por curiosidade e desde já dedico meus parabéns p/ a governadora Roseana Sarney,pois falou q este seria o melhor governo de sua vida dentro de 4anos,mas q já mostrou logo nos primeiros meses o quanto é verdadeira. Mostrou ao povo maranhense q o q queria c/ o povo conseguil(ser eleita).Agora dane-se Educação, pois s/ dúvidas são palavras da família Sarney.Sabemos q a lei é deles,mas professores vão á luta,pois só a luta muda a vida!!!

    ResponderExcluir
  34. Gostei do seu comentário, Rosiane.

    Acredito firmemente também que "só a luta muda a vida", mas temos que lutar com inteligência, com sagacidade, com visão holística.

    A luta somente contra a "Grande Família" não é suficiente para que tenhamos êxito, pois a mídia vendida permanece, assim como os parlamentares apadrinhados eleitos constantemente pela ignorância do povo, juntamente com o referendo mais do que nítido da pretensa "justiça cega" do Maranhão.

    A luta por uma educação de qualidade no nosso Estado requer ânimo de espírito e ousadia para almejarmos mais: UM MARANHÃO VERDADEIRAMENTE DEMOCRÁTICO, COM IGUALDADE DE OPORTUNIDADES PARA TODOS!!!

    Extremamente grato por sua participação. Aguardo novos comentários. Este espaço é nosso. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  35. sou filha do maranhão mas atualmente moro noutro estado e estou acompanhando esse movimento que apoio. Desejo que esse governo que não tem vergonha de ver o povo dele padecendo, reconheça que o maranhão tem grande potencial pra sair da margem da miseria, e ser reconhecido nacionalmente como um Estadobem educado e rico .

    ResponderExcluir
  36. É o que todos nós desejamos, companheira.

    Mas, para isso, é preciso ir às ruas reinvidicarmos, mostrando as mazelas sociais do Estado para a população que padece à beira da desinformação total pela mídia vendida.

    Por isso, a importância deste espaço informacional, como alternativa à ditadura midiática reinante por essas maranhas.

    Extremamente grato por sua participação. Fique à vontade para comentar sempre que desejar. Este espaço é nosso. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  37. A Constituição Federal diz que a Educação é direito de todos e dever do Estado mas parace que isso não tem nenhum valor aqui no Maranhão do Sarney.
    A boa notícia é que o Barack
    Obama está acabando com o terrorismo e a ditadura no mundo. Já dançou o Saddam Hussein, o Bin Laden, o próximo será o Kadafi e tomara que ele dê uma passadinha aqui no Maranhão!

    ResponderExcluir
  38. Companheiro "Anônimo", só faltou esclarecer quem vai dar um fim no terrorismo financiado e praticado pelos norte-americanos no mundo.

    Afinal de contas, Bin Laden e Saddam foram crias dos próprios americanos, desejosos de manterem seu poderio e influência no Irã, após a Revolução Iraniana de 1979, e no Afeganistão, após a invasão russa deste país.

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  39. A grande questão agora, companheiro "Anônino", é saber quem irá acabar com o terrorismo financiado e disseminado ao redor do mundo pelos norte-americanos.

    Afinal, não podemos esquecer que Saddam e Bin Laden são crias dos EUA. Ambos foram treinados e armados até os dentes pelo exército norte-americano. Saddam Hussein e seus aliados para invadirem o Irã após a Revolução Iraniana de 1979, e Bin Laden e os Talebãs para lutarem contra os russos após a invasão destes no Afeganistão.

    Grato por sua participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir
  40. Sou de Fortaleza, aqui passamos por uma greve, foi muito grande e linda. mas infelizmente todos estamos frustrados, a prefeita do pt, nascida dos movimentos sindicais nos perseguiu da forma q nenhum governo de direita fez. Apanhamos da guarda municipal, tivemos corte de decimo terceiro, ameaças de exoneraçao e ela pediu a ilegalidade da greve.
    Estou muito frustrada com a profissão e sobretudo, decepcionada com a justiça e com os politicos. Aqui a justiça decretou agreve ilegal, sendo q a ilegal é a prefeita q nao cumpre a lei...
    Enfim, gostaria de saber como terminou a greve no maranhao,, pois li num site (acho q o nome é nosso maranhao) q os professores tiveram vitoria, conseguiram um reajuste altissimo, acima do q se paga em muitos estados e acima do piso.
    Vc poderia me fazer um resumo da greve d evcs e quais reinvindicaçoes alcançaram?
    obrigada.

    ResponderExcluir
  41. Ótima sugestão, companheira.

    Estava mesmo preparando um balanço sobre a greve, destacando os ganhos e perdas do movimento.

    Em breve, publicarei aqui no blog.

    Desculpe a demora na resposta. É que os impedimentos temporais são muitos.

    Grato pela participação. Abraços fraternos.

    Hugo Freitas

    ResponderExcluir

Grato pela participação.